CORITIBA FOOT BALL CLUB

160x600 Escudo Errado Não
Elenco - Matheus Galdezani

25/08/2015 10:29:00 ( atualizada em 29/07/2016 13:51:43 )

O time que não se repete

O time que não se repete
Seu Nome:
Seu Email:
Mensagem:
Digite o que vê nas imagens abaixo?

Estudo traz números curiosos da história alviverde, que caminham com realidade dos clubes brasileiros

“Do goleiro ao ponta esquerda” ou “o time na ponta da língua”. Essas são duas de algumas expressões que o torcedor está acostumado a ouvir a cada temporada. Máximas do futebol, mas que não se justificam ao analisar os números da história do Coritiba. Por exemplo, no jogo desta quinta-feira, o técnico Ney Franco viverá uma realidade com seis desfalques certos na Copa do Brasil. Números de fácil compreensão no futebol moderno.

Você saberia, por exemplo, apontar o time do Coritiba que mais foi a campo história? Hamílton, Julinho, Nico, Bequinha e Carazzai; Miltinho e Guimarães; Chico, Oda, Duílio e Ronald defenderam juntos a camisa alviverde em 10 partidas, no período entre 27 de março de 1960 e 14 de janeiro de 1961, sob comando de Hortêncio de Souza.

Mas eles contrariaram os números pesquisados ao longo dos 105 anos do clube. Nos 3.652 jogos que o Coritiba fez desde 1909, a equipe se repetiu por apenas 450 vezes. Ou seja, em apenas 12% do total de jogos que o clube já fez, a equipe de um jogo para o outro foi a mesma.

Foi justamente na década de 1960 que o Coxa mais repetiu o time ao longo dos anos. Uma média de quase 20%, que contabilizam 62 times repetidos em 323 jogos no período. Ao longo das décadas algumas curiosidades na regra do jogo influenciavam diretamente esse aproveitamento. Critérios de expulsão e suspensão sofreram alterações com o passar dos anos e em cada campeonato.

Quando contabilizamos apenas jogos em sequência, Célio, Hermes, Nico, Oberdan e Nilo; Hidalgo e Bidon; Passarinho, Krüger, Werneck e Rinaldo marcaram oito partidas consecutivas pelo Coritiba, entre 01 de fevereiro e 22 de março do ano de 1970.

“São números curiosos, e vejo que o futebol hoje conta com essa necessidade. É importante que os clubes tenham um elenco forte, pois as competições exigem isso. É um esporte de choque, lesões e onde muitas vezes os atletas acabam suspensos. Por isso, variações são necessárias em bons elencos e bons times”, revela o técnico Ney Franco.

De acordo com o levantamento realizado pelo Grupo Helênicos, a década de 60 foi a que mais vezes o Coxa repetiu o time. Dos anos 90 em diante o percentual despencou, o que vai ao encontro da nova perspectiva do futebol, na qual os elencos mudam mais ano a ano e até mesmo no decorrer das temporadas.

Confira na tabela abaixo os períodos diferentes da história do clube a porcentagem de vezes que as equipes do Verdão se repetiram:

Também com o apoio dos Helênicos, o coritiba.com.br traz quais os times se repetiram consecutivamente, além de apontar o time de 2011 do Verdão como a equipe mais recente que conseguiu se repetir.