CORITIBA FOOT BALL CLUB

160x600 Escudo Errado Não
Elenco - Romércio

13/03/2014 17:42:00 ( atualizada em 15/03/2014 17:58:03 )

Confirmado

Confirmado
Seu Nome:
Seu Email:
Mensagem:
Marque a opção abaixo

Coritiba define contratação do meia Jajá, que irá disputar a Copa do Brasil e o Brasileirão pelo Alviverde

O departamento de futebol do Coritiba confirmou, na tarde desta quinta-feira (13), a contratação do meia Jajá (28). O jogador, que está em Curitiba desde sexta-feira (7), passou a treinar no Centro de Treinamento da Graciosa na última terça-feira e apenas aguardava os detalhes do acerto. O atleta vem para defender o time pela Copa do Brasil e Brasileirão durante a temporada 2014.

"Tive as melhores informações possíveis do clube e da cidade. Disseram que poderia vir que seria recebido de braços abertos e não está sendo diferente. O Coritiba é time grande, temos que pensar agora, lutar e ser campeão. Tenho certeza que com o grupo que vi, podemos lutar e brigar por coisas muito grandes", disse o novo reforço.

"A expectativa é buscar a reposição em virtude das saídas que acabaram acontecendo. No caso dele, um meia-atacante, vem como recomposição do meio campo. E além disto, ele tem características para atuar como terceiro atacante", avalia o vice-presidente de futebol do Coritiba, Paulo Thomas de Aquino.

"Temos muita expectativa sobre ele em campo devido às boas referências, ao seu histórico e sua experiência nacional e internacional. Conseguimos viabilizar este jogador dentro de nossas condições, sem comprometer nossa realidade", explica o dirigente.

Natural de Ipatinga, com apenas 14 anos, o mineiro Jackson Avelino Coelho  era um dos destaques do América-MG. Com 17 anos, foi transferido para o futebol europeu, onde passou a maior parte de sua carreira e atuou por vários clubes. Dentre eles, o Feynoord (HOL), o Getafe (ESP), Trabzonspor (TUR) e o Metalist, clube ucraniano no qual destacou-se e defendia antes de vir ao Alto da Glória.

"O futebol europeu é muito diferente do brasileiro. Das outras vezes que vim, senti um pouco de dificuldade para me adaptar. Acho, inclusive, que é mais fácil ir do Brasil para Europa, me adaptei mais rápido. Quando voltei, demorou um pouco mais. Mas é uma questão de tempo, como não posso jogar o paranaense, terei tempo para me preparar bem", revelou.

"No Metalist foi minha melhor passagem. Foi onde fiquei mais tempo e pude conhecer mais a cultura. Fui duas vezes o melhor do campeonato, fomos campeões da Copa da Ucrânia, levei o time para a UEFA e para a Champions. Acho que foi uma passagem muito importante", lembra.

Durante sua carreira fora do país, ele retornou ao Brasil em duas oportunidades: quando passou pelo Flamengo, em 2007, e pelo Internacional, em 2012. "Considero que tive duas passagens boas pelo Brasil, em momentos diferentes. Primeiro pelo Flamengo e mais recentemente no Internacional. Só tenho o que agradecer a estas duas equipes", destaca.